Mantega vê benefícios às exportações com alta do dólar

LUCIANA COELHO
DE WASHINGTON
EPAMINONDAS NETO
DE SÃO PAULO

O dólar ontem voltou a disparar diante das preocupações com a crise internacional. A cotação da moeda subiu 4,25% e atingiu R$ 1,865. Foi a maior alta em um dia desde outubro de 2008.

Em Washington, para participar do encontro anual do Fundo Monetário Internacional, o ministro Guido Mantega (Fazenda) reafirmou que o câmbio é flutuante.

Dólar fecha a R$ 1,86 com forte alta; Bovespa cede 0,70%
Governo descarta vender reservas apesar de alta do câmbio
Mantega descarta medidas para conter valorização do dólar

Além disso, destacou o efeito benéfico da desvalorização do real para as exportações do Brasil. “Somente agora estamos menos valorizados, o que certamente traz benefício à produção industrial brasileira, os exportadores”, afirmou.

O ministro da Fazenda disse que não vê risco inflacionário iminente por conta da recente disparada do dólar. Em sua avaliação, eventuais pressões sobre os preços no Brasil poderiam ser compensadas com a queda das cotações de produtos básicos no mercado internacional, como reflexo da crise global.

“Claro que se houver uma grande desvalorização [do real], isso pode preocupar. Mas seria preciso uma grande piora da crise”, afirmou.

Mantega acredita que uma deterioração relativa do cenário seria perfeitamente assimilada pela economia.
Além do ambiente internacional conturbado, que faz investidores buscarem refúgio no dólar, analistas dizem que mudou o sentido da especulação cambial no país.

APOSTAS

Até julho e meados de agosto, grandes bancos achavam que o dólar continuaria fraco, e apostavam na alta do real no mercado futuro.

Esse movimento provocou forte queda do dólar na época. Nas últimas semanas, após o corte na taxa básica de juros para 12% ao ano, a aposta se inverteu.

Especialistas não descartam que a taxa de câmbio ainda poderá oscilar de R$ 1,90 a R$ 2 nos próximos meses, por conta de tensões globais.

Mas muitos acham que a tendência de longo prazo é de valorização do real.

“Está todo mundo gritando fogo agora, mas em algum momento esse dólar vai ter voltar a refletir os fundamentos [da economia]”, diz André Perfeito, economista da Gradual Investimentos.

AJUDA À GRÉCIA

Apesar das tensões em relação à crise da Grécia, Guido Mantega disse acreditar em uma saída para o país, vista como pivô da crise.

Indagado se o Brasil e os demais países dos Brics (China, Rússia, Índia e África do Sul) ajudarão a Grécia e a Europa, conforme ele tinha sugerido, disse que a responsabilidade cabe antes aos europeus. Hoje tema será debatido por emergentes.

  Danilo Bandeira/Editoria de Arte/Folhapress  

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/poder/978975-mantega-ve-beneficios-as-exportacoes-com-alta-do-dolar.shtml

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s