Festa em Belo Horizonte e greve de operários do Mineirão marcam mil dias para a Copa de 2014

Festa em Belo Horizonte e greve de operários do Mineirão marcam mil dias para a Copa de 2014

@oglobo.com.br)

 

 

BELO HORIZONTE – No dia da visita da presidente Dilma Rousseff e de autoridades da Fifa e do Comitê Organizador ao Mineirão, escolhido como palco principal da festa que marca os mil dias para a Copa do Mundo de 2014 nas cidades-sede, os operários da obra no estádio voltaram a entrar em greve. Uma paralisação-relâmpago já tinha sido feita na véspera. O marco da comemoração dos mil dias será na forma de um cronômetro de contagem regressiva, que será inaugurado na Praça da Liberdade, onde está localizado o Palácio da Liberdade, antiga sede do Governo de Minas Gerais.

Dilma e Pelé (embaixador honorário da Copa) visitaram as obras do Mineirão acompanhados do ministro do Esporte, Orlando Silva, e do governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia. A presidente participou ainda, na capital mineira, de visita às obras de mobilidade urbana e do anúncio de investimentos do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento, 2ª fase) da Copa.

MIL DIAS: Lei das garantias não sai no Congresso e irrita a Fifa

OBRA EM ATRASO: Seleção de Mano Menezes ainda está indefinida

ESTÁDIOS: À sombra da greve e do atraso pelo Brasil

FOTOGALERIA: O andamento das obras nos estádios

A greve no Mineirão se soma à paralisação que dura mais de duas semanas no Maracanã, o palco principal do Mundial, e aumenta a pressão sobre os organizadores para concluir as obras exigidas para a competição, que estão atrasadas e já foram alvo de duras críticas da Fifa.

 

Na manhã desta sexta os trabalhadores do Mineirão protestaram por aumento de salário e melhores condições de serviço.

“Se não sair a melhoria para o trabalhador, o Mineirão não vai ficar pronto. A obra vai levar é dois mil anos”, disse um dos grevistas em um carro de som do lado de fora do estádio, segundo a agência Reuters.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção de BH e Região, que não é o representante principal dos trabalhadores do Mineirão mas participou da manifestação, a paralisação aconteceu porque um acordo fechado após uma greve em junho não estaria sendo cumprido. Naquela ocasião, as obras ficaram paradas por quase uma semana. O consórcio Minas Arena, que também será responsável por operar o novo Mineirão, disse à época que cumpria as exigências de uma convenção coletiva com os trabalhadores e mantinha “altos padrões de qualidade e segurança”.

Investimento de R$ 3,16 bilhões

O PAC Mobilidade das Grandes Cidades terá inestimentos da ordem de R$ 3,16 bilhões. Só na região metropolitana de Belo Horizonte, o investimento será de R$ 1,147 bilhão para a implantação e revitalização de linhas do metrô da cidade, implantação de terminais metropolitanos em sete municípios da região e na complementação do Complexo da Lagoinha. Os recursos do PAC ainda serão investidos na construção de 11 terminais metropolitanos de integração de transporte em sete municípios da região metropolitana.

Orçada em R$ 650 mil, financiados por recursos da prefeitura da cidade e do governo de mineiro, a festa da contagem regressiva também tem ajuda de parceiros da iniciativa privada para o pagamento dos custos, ainda que a quantia não seja informada.

FONTE: http://oglobo.globo.com/esportes/copa2014/mat/2011/09/16/festa-em-belo-horizonte-greve-de-operarios-do-mineirao-marcam-mil-dias-para-copa-de-2014-925376838.asp

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: