Nuvem de cinzas some de Bariloche; Brasil pode ser afetado

05 de junho de 2011 13h03 

 

Funcionário de hotel limpa cinzas do vulcão chileno, no cidade argentina de Bariloche. Foto: ReutersFuncionário de hotel limpa cinzas do vulcão chileno, no cidade argentina de Bariloche
Foto: Reuters

A cidade turística de Bariloche, na Argentina, amanheceu neste domingo sem a nuvem de cinza vulcânica, que cobriu a região repentinamente ontem e dificultou, inclusive, a respiração dos moradores. No entanto, A erupção do complexo vulcânico Puyehue-Cordón Caulle, no sul do Chile, ainda fecha o aeroporto do município e provoca a evacuação de cerca de 3,5 mil pessoas. Uma coluna de fumaça alcança outras regiões argentinas e, segundo a MetSul Meteorologia, não está descartado que o material expelido chegue ao Sul do Brasil.

Há diversos precedentes históricos de cinzas de erupção no Sul e no Centro do Chile que chegaram ao Centro da Argentina e ao Rio Grande do Sul. Conforme o meteorologista Luiz Fernando Nachtigall, o transporte das cinzas a locais distantes dependerá de correntes de vento em altitude chamadas de correntes de jato e da manutenção da erupção com forte intensidade.

Segundo o jornal Clarin, na região de Bariloche, as autoridades argentinas mantêm um alerta em cidades próximas, o qual recomenda que as pessoas não saiam de casa. Na cidade, a camada de cinzas vulcânicas que cobria as ruas ainda pode ser vista, apesar do vento. O transporte público está em operação, mas com poucos passageiros.

A advertência de riscos vai prosseguir por tempo indeterminado, já que a nuvem de cinzas, segundo especialistas, podem voltar a qualquer momento. No Chile, municípios próximos ao vulcão também seguem sendo evacuados.

O complexo vulcânico se estende ao longo de 15 quilômetros, em uma área de pouca densidade demográfica, e uma de suas principais crateras é o Puyehue, de 2.240 metros de altitude, cuja última erupção data de 1960.

No Chile, o Exército mobilizou vários caminhões para evacuar a população afetada e, por enquanto, a operação está se desenvolvendo com normalidade, sem que se tenham registrado situações de emergência, segundo indicou o Escritório Nacional de Emergência.

Segundo dados do Sernageomin, há mais de 2 mil vulcões no Chile, dos quais cerca de 125 são considerados geologicamente ativos e cerca de 60 tiveram algum tipo de atividade eruptiva histórica nos últimos 450 anos.

Até agora, o episódio mais relevante ocorrido nos últimos anos tinha sido a erupção, em maio de 2008, do vulcão Chaitén, que obrigou a evacuar os mais de 6 mil habitantes da cidade homônima, também na região de Los Lagos, que ficou praticamente devastada.

Além disso, o vulcão Llaima, situado na região da Araucanía, cerca de 600 quilômetros ao sul do Chile, e considerado um dos mais ativos da América do Sul, entrou em erupção no dia 1º de janeiro de 2008 e, durante um ano e meio, lançou material incandescente de forma esporádica.

Com informações de agências

Fonte http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5169574-EI8140,00-Nuvem+de+cinzas+some+de+Bariloche+Brasil+pode+ser+afetado.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: