Souvenirs do casamento real se “espalham” pelas ruas de Londres

A economia inglesa continua colhendo os bons frutos com o chamado “casamento do século”. Podemos ter certeza que no dia 29, todas as atenções da mídia estarão voltadas para este evento. Enquanto isso, uma avalanche de produtos chineses invadiu as ruas londrinas e movimentam o turismo.

p>

DA FRANCE PRESSE, EM LONDRES
De produtos de porcelana fabricados na China a quinquilharias de gosto duvidoso –produtores de souvenirs se superaram para o casamento do príncipe William com Kate Middleton, que ocorre no dia 29 de abril.
A internet impulsionou e internacionalizou a demanda de colecionadores, turistas e gozadores. A rede era ainda incipiente no ‘último casamento do século’, o de Charles e Diana em 1981.
Proliferam os artigos — “oficiais” e oficiosos– fabricados no Reino Unido e no exterior. William e Kate sorriem em 3,5 milhões de copos e em um incontável número de pratos, chaveiros, bonés, geladeiras e camisetas. Podem também ser encontradas xícaras de porcelana decoradas com suas iniciais douradas.
Mas há também latas de cerveja ‘Kiss me Kate’, agasalhos para cães, imitações baratas de vestidos, anéis de noivado e até um livro que ensina a tricotar bonequinhos de pano dos protagonistas do casamento, incluindo o arcebispo de Canterbury.
No total, a venda de produtos inspirados na cerimônia movimentará 226 milhões de euros (R$ 511 milhões), estima o Centro de Pesquisas do Comércio Varejista.
O empresário Andrew Cousins espera obter ganhos adicionais na ordem de 1 milhão de libras (R$ 2,5 milhões) com sua companhia familiar, Peter Jones Ltd.
O único problema é a “vergonha” pelo fato de um acontecimento real britânico ser comemorado com “tantos produtos procedentes do Extremo Oriente”, diz ele.
‘Não aos produzidos na China. “Made in UK”‘, protestou contra todas as previsões o vendedor do ‘Chinatown London Market’, no coração do Soho, bairro turístico de Londres. Seu estabelecimento, que também é uma sala de massagem e uma casa de câmbio, está cheio de produtos com a imagem do casal, entre eles louças comuns, colheres de coleção e mini-carruagens de plástico.
Para garantir a etiqueta e o protocolo, Lord Chamberlain atualizou as orientações sobre as ‘lembranças oficiais’ que apareceram pela primeira vez no jubileu da rainha Vitória em 1887. Os “extraoficiais” não podem exibir os símbolos reais. Devem ser ‘de bom gosto e isentos de publicidade’.
PRODUTOS POPULARES
No entanto, os futuros noivos, que tentam ser modernos, toleraram a comercialização de guardanapos com suas imagens, que o Palácio de Buckingham considerava “vulgares”. Resultado, a aparente tolerância virou relaxamento.
Fabricantes de bugigangas e imitadores não perderam a oportunidade. Há uma fotonovela feita com os casais reais na qual se pode ver a rainha dançando com Elton John em seu palácio.
A Hugh Pomfret vende na internet caixas de preservativos “King size” com a foto de William e Kate em um medalhão. E manifesta a sua satisfação com a orientação liberal de uma indústria de lembranças “agora mais lúdica”.
Lidya Leith comemora o sucesso de vendas de seus sacos de vômito adornados com um desenho do casal. ‘Os defensores e os contrários ao casamento gostam da brincadeira’, assegurou.
Outro produto, feito na China, é realmente único: celebra o casamento de Kate com o irmão mais novo de William, o príncipe Harry.
http://www1.folha.uol.com.br/mundo/904396-souvenirs-do-casamento-real-se-espalham-pelas-ruas-de-londres.shtml

Fonte:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: