Afegã que teve o nariz cortado tem face reconstruída

Mais um detalhe da cultura do Afeganistão, unido-se à publicidade política norte-americana causou espanto em 2010.  A afegâ Aisha ficou mundialmente conhecida por mostrar seu drama na capa da revista Time, porque teve seu nariz e orelhas cortadas por ter fugido do marido. Interesses políticos à parte, a divulgação destas fotos demonstram o quanto a cultura de um país determina sua posição no mundo.

Veja como ela está agora…

———-

Internacional publicado em 14/10/2010 às 16h31:

Afegã que teve o nariz cortado tem face reconstruída

Aisha ficou mundialmente conhecida por mostrar seu drama na capa da revista Time  /  R7

Montagem/Time/Reprodução ABC News

Aisha, antes e depois: na capa da Time e com o nariz reconstruído; marido mutilou mulher com ajuda de familiares e com apoio do Taleban

A jovem afegã que ficou mundialmente conhecida por ter o nariz cortado pelo marido no Afeganistão mostrou, nesta semana, sua face reconstruída. Ela passou por uma cirurgia plástica nos Estados Unidos.O drama de Aisha foi estampado na capa da revista Time (foto ao lado). Ela contou à publicação americana que foi seu marido quem lhe cortou o nariz, com a ajuda de familiares. Eles tiveram o apoio de um líder do grupo fundamentalista muçulmano Taleban.

Segundo reportagem do jornal espanhol El País, a jovem de 18 anos foi levada ao Estado americano da Califórnia para ter a face reconstruída, com o apoio financeiro da Fundação Grossman Burn. O instituto luta pelo fim da violência contra as mulheres.

Aisha apareceu em público nesta semana, durante a entrega de um prêmio entregue pela fundação.

A face mutilada de Aisha ilustrou a reportagem da Time que tinha como título: “O que poderia ocorrer se deixássemos o Afeganistão”.

O texto mostrou os perigos da volta do Taleban ao poder no Afeganistão. O grupo ultra-fundamentalista governou o país até a ocupação americana em 2001, quando foi derrubado pelos americanos.

 Durante o governo do Taleban vigorou no país uma versão ainda mais radical da sharia, a lei islâmica, que pune com a morte mulheres acusadas de adultério, por exemplo. Nesse tempo, as afegãs eram obrigadas a se cobrir da cabeça aos pés com a burca e não tinham direitos mínimos, como o de ir à escola.

Fonte: http://noticias.r7.com/internacional/noticias/afega-que-teve-o-nariz-cortado-tem-face-reconstruida-20101014.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: