Quais impactos da retaliação aos EUA?

 

O Brasil ainda não recebeu nenhum parecer oficial dos EUA em relação à lista dos 102 produtos importados, que estão sendo retaliados… isto é um bom sinal?

                                                            Veja o artigo de João dos Santos Bizelli, relacionando o caso!

Link  site Aduaneiras

Retaliação aos EUA aumentará o poder de barganha em acordos como da carne e do etanol
 
Para o gerente de importação da Aduaneiras, João dos Santos Bizelli,
o lobby do setor agrícola americano é muito forte

Os cosméticos e os barcos de lazer importados dos Estados Unidos estão entre os produtos punidos com o aumento da tarifa de importação, uma retaliação aos subsídios ilegais dados pelos americanos aos produtores locais de algodão. O governo também aumentará, de 35% para 50%, a alíquota do Imposto de Importação de carros americanos. A lista de 102 produtos foi divulgada no dia 8 de março pela Câmara de Comércio Exterior (Camex).Segundo o gerente de importação da Aduaneiras, João dos Santos Bizelli, a medida aumenta o poder de barganha em acordos que envolvam questões estratégicas, como abertura à carne e ao etanol brasileiros. “O lobby do setor agrícola americano é muito forte. Medidas como essa pressionam os empresários a exigir a derrubada dos incentivos aos produtores locais”, aponta.

A maioria dos produtos é de bens de consumo, para evitar danos à indústria nacional que depende de insumos, como as máquinas e os equipamentos importados dos Estados Unidos. As medidas entrarão em vigor 30 dias após a data de publicação, a não ser que os países façam um acordo de última hora. A tarifa sobre as importações do algodão cardado ou penteado será de 100%, ante os atuais 8%. O algodão simplesmente debulhado também terá tarifa de 100%, enquanto hoje é de 6%. Já o preço sobre as importações de trigo, produto que gerou receitas superiores a US$ 300 milhões aos produtos americanos em 2008, passará de 10% para 30%. Essas são as taxas mais altas na lista, incluindo produtos derivados.

As importações de leite em pó, soro e frutas, como cereja, ameixa, uva, nozes e pera, por exemplo, estão na lista e terão a taxação ampliada de 10% para 30%. Até as famosas redes de lanchonetes como o McDonald’s e o Burger King poderão ser prejudicadas, uma vez que a lista também aumenta o custo sobre preparados e molhos alimentícios.

A intenção do governo brasileiro é pressionar a Casa Branca para obter do governo de Barack Obama o compromisso de redução dos subsídios ao algodão e a oferta de medidas de compensação aos brasileiros pelos prejuízos da competição desleal dos produtores dos Estados Unidos.

Para evitar a retaliação, Bizelli afirma que, em relação aos importadores brasileiros, o assunto já se esgotou. “Com relação ao governo americano, restaria eliminar os subsídios envolvidos ou procurar outra forma para compensar as pretensões brasileiras”, disse o gerente.

Bizelli comentou também que, no estágio atual, a retaliação é mais uma possibilidade do que uma ameaça e que o Brasil está disposto a utilizar as regras dos acordos aprovados no âmbito da OMC “para defender os interesses do País no comércio internacional contra as práticas desleais do comércio”.

Cremes e xampus
De acordo com informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a lista de R$ 591 milhões representa uma parcela do total de US$ 829 milhões a que o Brasil teria direito. Os US$ 238 milhões restantes seriam aplicados nos setores de propriedade intelectual e serviços, de forma ainda a ser definida.

O valor estimado tem base no efeito que o aumento do imposto terá sobre o valor final do produto e na redução do consumo. Mas a medida com maior impacto ainda está por vir, e o Brasil poderá estender as represálias aos pontos mais sensíveis dos Estados Unidos, como as áreas de propriedade intelectual e serviços. A possibilidade de quebra de patentes e de taxação sobre o envio de royalties de produtos audiovisuais é mais sensível para países desenvolvidos.

A lista inclui ainda muitos produtos de beleza, como cremes e xampus, cujas tarifas terão aumento de 18% para 36%. O metanol, os medicamentos que contêm paracetamol (exceto em doses), leitores de códigos de barras, óculos de sol, aparelhos eletrônicos, têxteis, confecções e fones de ouvido também estão na lista publicada no Diário Oficial da União.

OMC
A Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizou em novembro de 2009 o Brasil a impor sanções sobre mercadorias dos Estados Unidos diante da recusa americana de retirar os subsídios concedidos à produção e exportação de algodão e também por causa de um programa de garantias para créditos a exportadores.

A disputa comercial teve início em 2002 e é uma das poucas em que a OMC permitiu uma retaliação cruzada, que significa que a parte prejudicada pode retaliar contra um setor não envolvido na disputa. O valor da retaliação é o segundo mais alto da história.

O governo dos Estados Unidos declarou-se “decepcionado” com as autoridades brasileiras, por darem início à retaliação. Já o governo brasileiro espera receber uma proposta concreta dos Estados Unidos para eliminar os subsídios.

Redação: Danielle Ruas
Edição: Lenilde de León

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: